Você já ouviu falar em “grau de proteção”?

Quando você adquire um equipamento elétrico, não tem ideia de que forma ele foi montado e se ele oferece algum risco a você ou ao ambiente. Não tinha ideia até agora, porque a gente vai te contar sobre o grau de proteção e como você deve consulta-lo pra saber se a proteção que ele oferece condiz com a sua necessidade.

Para garantir a segurança de quem tem contato com aparelhos elétricos, foram criadas duas normas brasileiras: a NBR 6146, que diz respeito a invólucros de equipamentos elétricos e NBR 9884, que trata de máquinas elétricas girantes e graus de proteção proporcionado pelos invólucros. Basicamente o que se espera disso é evitar danos físicos as pessoas, como por exemplo, ferimentos causados por partes móveis e choques.

CHOQUE FESTA DA UVA

Uvas sem IP

Essas normas foram baseadas em normas internacionais e são classificadas assim:

  • Grau de proteção de pessoas contra o contato a partes energizadas sem isolamento;
  • Grau de proteção contra o contato às partes móveis no interior do invólucro e proteção contra a entrada de corpos estranhos, incluindo partes do corpo como mãos e dedos (achei meio bizarro isso).
  • Grau de proteção contra entrada de poeira e contato acidental com água em carcaças mecânicas e invólucros elétricos.

Você vai encontrar a informação da seguinte forma IP (índice de proteção) + 2 dígitos que significam:

Dígito 1 – proteção contra o contato de partes móveis no interior do invólucro e proteção contra a entrada de corpos sólidos estranhos;

Dígito 2 – proteção contra o ingresso de água no seu interior;

Ai é só procurar nas tabelas abaixo, pra saber se o equipamento é adequado para o que você precisa.

grau-de-protecao-primeiro-digito

grau-de-protecao-segundo-digito

As luminárias industriais Promercado possuem IP66. Confira essas e outras informações técnicas no nosso site.

Teste de eficiência das lâmpadas

O site Manual do Mundo é um daqueles sites que se você não se cuida passa horas ali e perde o emprego (brinks chefia, conheci agora), porque tem muita coisa bacana. Resumindo, é um site de experiências com coisas cotidianas, mas que na maioria das vezes nem sabíamos como funcionavam.

Acontece que, em agosto eles fizeram um vídeo testando a eficiência das lâmpadas. No teste foram usadas: incandescente de 100W (que já não é mais vendida), halógena de 70W, fluorescente de 25W e LED de 9W.

O resultado você que acompanha o blog já sabe né?

As lâmpadas LED têm a mesma eficiência na iluminação, com até 80% de economia de energia, uma durabilidade bem maior e são amigas do meio ambiente, por não conter substâncias nocivas como por exemplo, o mercúrio.

Ah, lembra que nesse texto aqui a gente explicou que o número de Watts não significa qualidade de iluminação? Pois no vídeo ele explica certinho.

Assiste ai que é MUITO legal.

Quer saber mais? Consulte no nosso site. lá você encontra as fichas técnicas das lâmpadas de LED e pode ver a quantidade de lúmens e a equivalência com o sistema antigo.

Você tem certeza que está comprando a lâmpada certa?

Um erro clássico na hora de comprar lâmpadas é escolher a que tem um número maior de Watts achando que isso dará maior luminosidade ao ambiente. Isso é o maior dos enganos e nós explicamos pra você por que.

lampada se batendo

Não é porque a lâmpada consome muito que ela vai iluminar mais e não é porque ela ilumina mais que vai consumir muita energia.

A grande confusão se deve ao fato de que durante muito tempo a lâmpada incandescente reinou absoluta no mercado e o consumidor acostumou a comprar lâmpadas pensando na potência, já que era muito mais cômodo assim. Dessa forma, ainda nos dias de hoje, todos ainda pensam que são os Watts que determinam a qualidade da luz. Porém, eles só indicam a potência, ou seja, o quanto de energia elétrica a lâmpada vai consumir. Com o surgimento dos LEDS e sua difusão, principalmente em tempos de crise energética, uma nova forma de escolha está sendo apresentada ao público. A forma certa.

Para medir a eficiência da iluminação, utilizamos uma unidade de medida conhecida por lúmens, que está relacionada à óptica e descreve o quanto de luz o olho humano percebe.

olho

Ahhh… Não entendi…

Calma que eu explico!

Toda a energia produzida por uma fonte luminosa e visível ao olho humano é chamada de fluxo luminoso. Para medir o fluxo luminoso, usamos uma unidade de medida padrão do Sistema Internacional de Unidades, chamada lúmen (lm), que serve tanto para iluminação incandescente, fluorescente ou LED. É a medida da quantidade de luz visível em um ângulo determinado ou emitido por uma determinada fonte.

Por isso que as lâmpadas de LED conseguem manter a eficiência luminosa, com uma quantidade menor de Watts. Enquanto uma lâmpada incandescente emite de 11 a 16 lúmens por Watt, uma LED chega a emitir entre 70 e 130. Essa informação reforça o que sempre dizemos a respeito da economia que uma lâmpada de LED gera no consumo de energia.

Seu bolso e o planeta agradecem.

lampadas

Quer saber mais? Consulte no nosso site, lá tem as fichas técnicas das lâmpadas de LED. Nelas você pode ver a quantidade de lúmens e a equivalência com o sistema antigo.

5 razões para sua conta de luz ter aumentado

contadeluzlatuff

Olá, voltamos!

E voltamos com o mesmo assunto de sempre: Energia elétrica…

Já falamos aqui no blog sobre a conta de luz mais cara e ensinamos como economizar energia. Mas você realmente sabe os motivos que levaram ao aumento na conta de luz ou acha que a culpa é da só da falta de chuva?

Não é.

A seca é uma das razões, mas não a única. Listamos para vocês 5 motivos para estarmos pagando uma conta de luz tão alta.

Seca

As regiões Sudeste e Centro-Oeste, que são responsáveis por boa parte da produção energética do país estão há, pelo menos, dois anos sofrendo com a constante falta de chuva. Hidrelétricas precisam do que pra produzir energia??? ÁGUA, muita água. Se não tem água as empresas distribuidoras são obrigadas a comprar energia das termelétricas e isso, meus amigos, custa bem caro.

Dólar

render dinheiro

A usina hidrelétrica de Itaipu é binacional, por isso a energia produzida lá é negociada em dólar, uma breve pesquisa na internet nos diz que o dólar esta sendo cotado a R$3,49, maior alta em 12 anos. Adivinha? Essa alta é repassada para a sua conta de luz…

Empréstimos

Em 2014 as concessionárias de energia passavam por problemas financeiros. Pequenos? Não, enormes problemas! A solução foi buscar junto aos bancos empréstimos para evitar que quebrassem de vez. Porém, todos nós sabemos que emprestar não é doar e que o retorno do dinheiro vem com juros e correção monetária. Resultado: nós, os consumidores, ajudando a pagar essa conta.

Reservatórios

enhanced-14324-1427224088-14

Lembra da campanha contra a usina de Belo Monte? Então, tirando tudo o que foi feito de errado lá e que não é o nosso foco aqui, a principal reclamação era o impacto ambiental que ela causaria na região.

Acontece que nos últimos anos, visando diminuir esse problema com o meio ambiente, todas as hidrelétricas foram construídas com reservatórios bem menores. O resultado disso é que, essa medida aumenta e muito a dependência da chuva e a gente sabe que né, não tem chovido muito esses tempos e tals…

Redução fora de hora

Em janeiro de 2013 o governo na sua imensa sabedoria (contem ironia), decidiu que era ok baixar o preço da luz e que ia ficar tudo bem, Deus no comando. O problema disso foi que reduziram o valor sem que houvesse um crescimento na produção. A energia mais barata incentivou o consumo, era época de seca, os reservatórios baixaram e o final da historia todos nós sabemos.

Porem não criemos pânico!!

Na semana passada as termelétricas foram desligadas. Ebaaaaaa!!!

O preço vai baixar? Vai! Porém, não como a gente sonha…

A estimativa é de que haja uma redução de até 20% na bandeira vermelha. Isso significa basicamente que: a conta vai baixar em setembro. Porém, ainda estamos sob regime da bandeira vermelha (a mais cara) e ficaremos assim um bom tempo, já que, ainda estamos no período de seca. Em outubro e novembro será feita uma nova avaliação para saber se é seguro baixar para a bandeira amarela.

Por isso, chicos: mantenham  o controle e continuem economizando.

Energía_Pikachu

Projeto de Eficiência Energética Copel

cropped-eficiencia-energetica.jpg

.

.

A Companhia Paranaense de Energia (Copel) abre todos os anos, duas vezes por ano, chamada publica para empresas que queiram participar do seu projeto de eficiência energética.

O objetivo desse projeto é a economia de energia e redução da demanda em horários de ponta. A Copel cobre os valores usados com materiais e equipamentos e para as empresas com fins lucrativos, o recurso é formalizado via contrato de desempenho, ou seja, o consumidor paga o recurso com a economia obtida, que será comprovada através de medição e verificação. A parcela nunca será maior que a economia obtida.

Para participar basta preencher alguns requisitos como, por exemplo, funcionar em horário de pico (entre 18 e 21hrs), não ter pendencias financeiras com Órgãos Federais, Estaduais e Municipais.

O Prazo para apresentação de projetos ainda esse ano é de 11/11/2014 e para facilitar, a Promercado faz o levantamento referente a viabilidade e elabora o seu projeto sem custo.

Ficou interessado?

Entre em contato através do e-mail promercado@promercado.com.br ou pelo telefone (41) 3078-5500.